quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Árbitros passam por teste físico antes do Campeonato Potiguar 2015

ítalo medeiros árbitro (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

A proximidade do Campeonato Potiguar já está mexendo com a rotina dos clubes do Rio Grande do Norte, mas não é exclusividade das comissões técnicas e dos atletas. Visando atender a competição com qualidade, os questionados árbitros de futebol também realizam pré-temporada em busca da boa forma. O mês que antecede o estadual é dedicado aos treinos físicos, cada vez mais difíceis devido ao alto rendimento dos atletas de hoje. 

- O nosso treinamento é semelhante ao de um atleta de corrida. Começamos com um trabalho de base, de fortalecimento muscular e, depois, especificamente, nos treinos inclusos ao trabalho deles - afirma o professor de Educação Física Erivan Pereira, que auxilia na preparação de árbitros potiguares.

A evolução física dos atletas exige dos árbitros um rendimento maior, resultando em avaliações cada vez mais rígidas para os responsáveis por manter as regras nas quatro linhas.

- A Fifa tem criado novos mecanismos de avaliações físicas e, dentro desses mecanismos, logicamente, vêm as dificuldades. Essas dificuldades são aumentadas a cada período, a cada ciclo de novos testes, e aí aumenta a dificuldade, realmente, de conseguirmos ser aprovados nesses testes. Para 2016, já há a previsão de que todos os árbitros CBF façam o mesmo teste que os árbitros Fifa fazem - comenta o árbitro Ítalo Medeiros, que integra o quadro da CBF.

Hoje, um juiz de futebol chega até a correr mais que um jogador de futebol.

- Três anos atrás, no final da minha graduação, fiz um estudo onde analisei, em 60 partidas do campeonato, a demanda física de um árbitro de futebol. O árbitro com o menor percentual de gordura percorre as maiores distâncias durante o jogo; o árbitro que tem o melhor condicionamento físico toma as melhores decisões, possui as melhores notas. Então, nesses três anos, a média de distância percorrida dos nossos árbitros foi de 10,5 km. Uma média aceitável em nível nacional e internacional, onde os árbitros italianos correm mais, é de 12 km por jogo - comenta o árbitro Caio Max.

Até mesmo os árbitros assistentes precisam manter o ritmo forte do treinamento.

- O treinamento do árbitro assistente é similar ao treinamento do árbitro porque nós devemos estar em cima do lance e acompanhar de perto as jogadas, acompanhando sempre a linha do penúltimo defensor. Temos que estar bem preparados fisicamente. Nós fazemos muito trabalho de reforço muscular, de explosão, de potência. Em várias partidas nos deparamos com atletas muito rápidos e, em lances de contra-ataque, nós temos que estar com um condicionamento físico muito bom para poder acompanhar a jogada - afirma o assistente Flávio Barroca.

O condicionamento físico do árbitros é necessário para a aprovação da Comissão Estadual de Arbitragem. No último teste físico, realizado no fim de semana, 55 profissionais foram aprovados e apenas sete não poderão participar do Campeonato Potiguar 2015, com início marcado para 25 de janeiro.

Fonte Globo Esporte (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi

Senado aprova pensão especial vitalícia para ginasta Laís Souza

Ex-ginasta receberá benefício de R$ 4.390,24. Foto: Divulgação

O senado aprovou nesta quarta-feira, em votação simbólica, o projeto de lei da Câmara (PLC) 81/2014 (ou PL 7657/2014, na Casa de origem), que prevê a concessão de pensão especial vitalícia à ex-ginasta e ex-esquiadora Lais Souza. A atleta ficou tetraplégica ao sofrer acidente em treino de esqui aéreo no começo do ano. O projeto segue agora para sanção presidencial.

O valor do benefício mensal equivale a R$ 4.390,24, limite máximo para esse tipo de auxílio, segundo o Regime Geral de Previdência Social. A despesa vai ser lançada no programa orçamentário “Indenizações e Pensões Especiais” de responsabilidade da União. A pensão não será repassada aos herdeiros da beneficiária.

Em sua justificativa, a autora do projeto, deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), argumenta que Lais Souza os motivos que a levaram a apresentar o projeto.

“Lais construiu uma carreira baseada na garra, na perseverança e no sucesso”, disse a deputada

Aos 12 anos de idade, já integrava a Seleção Brasileira de Ginástica Olímpica. Aos 15, representou o Brasil nas Olimpíadas de Atenas, em 2004. No ano seguinte, alcançou seu mais expressivo resultado ao conquistar a medalha de ouro na Copa do Mundo de Cottbus e Sttutgart, na Alemanha.

Com essa trajetória de sucesso, a Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN) convidou Lais e a atleta Josi Santos a conhecerem o esqui aéreo, em maio de 2013. Após obterem classificação para essa modalidade nos Jogos Olímpicos de Inverno de fevereiro de 2014 – realizados em Sóchi, na Rússia –, as atletas seguiram um rigoroso treinamento em Salt Lake City, nos Estados Unidos.

Em janeiro de 2014, ocorreu o acidente com Lais, que fraturou a terceira vértebra, com lesão medular definitiva. Houve comprometimento das funções motora, sensitiva e autonômica. Assim, a atleta perdeu movimentos, sensibilidade e controle de todos os órgãos abaixo do pescoço.

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) iniciou, então, uma campanha para obter contribuições em benefício do tratamento da atleta. No momento do acidente, Lais não participava de nenhuma delegação do COB, eliminatória ou classificatória para os Jogos Olímpicos, e o seguro de vida ou invalidez contratado pela instituição cobre apenas os atletas em missões como os Jogos Olímpicos de Verão e de Inverno, os Jogos Olímpicos da Juventude, os Jogos Pan-Americanos e os Jogos Sul-Americanos.

Mesmo assim, o COB assumiu diversas ações, desde o momento do acidente de Lais, para custear o tratamento da atleta.

O relator da proposta na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), senador Eduardo Suplicy (PT-SP), explicou que o valor fixado para a pensão segue a mesma regra aplicável aos auxílios especiais mensais concedidos aos campeões de futebol das Copas do Mundo de 1958, 1962 e 1970, conforme a Lei Geral da Copa (Lei 12.663/2012).

Fonte Jornal de Hoje Foto: Divulgação

Brasil tem 2 jogadores concorrendo em lista de melhor “cai-cai” do ano

Foto: Divulgação

Bem-vindos ao Fallon d´Floor 2014. Vote para a simulação teatral levando em consideração a importância da simulação para a decisão do jogo.” A brincadeira que está bombando na internet se apresenta dessa maneira. Em alusão ao prêmio da FIFA de melhor jogador do mundo, o Ballon d´Dor, surgiu o Fallon d´Floor, que premia a melhor simulação do ano.

E na primeira edição do “prêmio”, o Brasil é o país com mais candidatos. O meia Adryan, ex-Flamengo, é um dos fortes favoritos. Atuando pelo Leeds United, Adryan protagonizou uma simulação bizarra, que ficou conhecida como “peixe fora d´água”.

O outro representante brasileiro é o atacante Fred, em lance com a camisa da Seleção Brasileira. Na partida de abertura da Copa do Mundo, o camisa 9 se jogou na área da Croácia e o árbitro marcou o pênalti.

Os outros candidatos ao prêmio são nada menos que Luis Suárez, Cristiano Ronaldo, Arjen Robben e o menos conhecido Giancarlo Gonzalez, que joga no Colombus, dos Estados Unidos.

Fonte: Terra Foto: Divulgação

ABC busca investidores para ter Wallyson como estrela no ano do centenário

Wallyson defendeu o Botafogo em 2014. E está na mira do ABC. Foto: Divulgação

Após ser rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro junto ao Botafogo, o atacante Wallyson pode estar retornando ao seu clube de origem. A contratação do jogador de 26 anos seria o passo inicial para as ações de marketing do ABC em torno da comemoração dos seus 100 anos, que acontecerá em 2015, e para a montagem de um forte elenco para a disputa do Campeonato Potiguar, da Copa do Brasil e da Série B do Brasileirão na próxima temporada.

Ídolo no Mais Querido, Wallyson deixou o clube em 2007, após se destacar na conquista do título da Série C pelo alvinegro potiguar. Com passagens por Atlético/PR, Cruzeiro, São Paulo, Bahia e Botafogo o jogador acabou se tornando uma grande incógnita e tendo desempenho abaixo do esperado por onde passou.

Em baixa, o atacante pode voltar a brilhar no time do coração. A diretoria abcedista busca atrair investidores para viabilizar a contratação e o pagamento dos vencimentos do atacante, que hoje giram em torno dos R$ 80 mil, valor acima do teto máximo do clube. Além disso, a forte ligação de Wallyson com a Frasqueira seria o principal fator atrativo de público nos jogos do ABC em casa.

O atacante tem contrato com o Deportivo Maldonado, clube de investidores do Uruguai, e seria contratado por empréstimo até o final de 2015. O jogador foi dispensado pelo Botafogo após o fim do Campeonato Brasileiro e está livre para negociar com qualquer clube.

Fonte: Lancenet Foto: Divulgação