sábado, 6 de agosto de 2016

Show de luzes e mistura de ritmos dão o tom da abertura da Rio 2016

Show de luzes e mistura de ritmos dão o tom da abertura da Rio 2016

Como haviam adiantado os diretores criativos da cerimônia de abertura, projeções e luzes foram os principais recursos tecnológicos utilizados na abertura dos Jogos Olímpicos. As projeções no chão do Maracanã criaram efeitos muito aplaudidos pelo público, como o voo do 14 Bis sobre o Rio de Janeiro, a transformação da floresta em um país tomado por plantações e grandes cidades e os traços arquitetônicos de Oscar Niemeyer no caminho da “Garota de Ipanema” Gisele Bündchen.

Os diretores criativos do espetáculo Daniela Thomas, Andrucha Waddington e Fernando Meirelles haviam anunciado que o recurso seria a grande aposta da cerimônia, devido a limitações impostas pelo estádio do Maracanã.

Ao contrário das aberturas anteriores, o Maracanã não é um estádio olímpico (não tem pista de atletismo), o que reduz o espaço disponível. O estádio também tem muitos lugares no nível do campo, o que impede que palcos elevados sejam montados para que equipamentos e acessórios possam ser retirados dos subsolos e escondidos depois. Para completar, o Maracanã tem portas de menos dois metros de altura, o que inviabiliza a entrada de grandes alegorias ou estruturas.

Todas essas dificuldades se somam ao orçamento reduzido da cerimônia do Rio. O valor não foi divulgado, mas, segundo os seus organizadores, é bem menor que das edições anteriores. O produtor executivo da cerimônia, Marco Balich, disse que Atenas foi marcante por ter sido clássica, Pequim teve uma abertura grandiosa, Londres fez uma festa inteligente e o Rio seria lembrado por uma cerimônia descolada. “É a festa mais legal em que eu trabalhei”, disse ele, que também produziu a abertura dos Jogos de Inverno de Socchi, na Rússia.

Por Agência Brasil

RN terá 40 representantes nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016

Resultado de imagem para fotos do rio 2016

O Rio Grande do Norte está muito bem representado nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. No total, 40 potiguares estarão competindo e trabalhando nas Olimpíadas, cuja abertura acontece hoje (5), e também nas Paralimpíadas, com data de início no dia 7 de setembro. Os participantes estão distribuídos assim: doze atletas, onze árbitros, seis oficiais técnicos, quatro enfermeiros, três médicos, um fisioterapeuta, um massoterapeuta, um técnico e um guia de atletismo.

Entre as principais estrelas olímpicas está o nadador Marcos Macedo, 25 anos, de Natal, que treina no Fiat/Minas. Campeão mundial de Piscina Curta em Doha, no Catar, em 2014, na prova do 4x100m medley, Macedo está confiante na conquista da sua primeira medalha olímpica. “É uma honra representar o Rio Grande do Norte e o Brasil nas Olimpíadas e espero subir no pódio na minha especialidade, os 100m borboleta ou nos 4x100m medley”, revelou. As baterias de natação começam a partir deste sábado (6).

O árbitro potiguar da Federação Internacional de Judô, Laedson Lopes, e a coordenadora técnica da Federação de Judô do Estado do Rio Grande do Norte (FJERN), Juliana Dal’Alva Augusto, já estão desde o dia 3 no Rio de Janeiro como integrantes da equipe de oficiais técnicos do judô. Pelo WhatsApp, Juliana não conseguiu descrever a emoção de estar participando dos Jogos Olímpicos do Rio. “Não sei explicar, é uma sensação única estar num lugar onde muitos também gostariam de estar. Mas o importante é dar minha contribuição como norte-rio-grandense e brasileira ao judô olímpico”, disse ela, que permanecerá para as Paralimpíadas, juntando-se a outro potiguar, o presidente da FJERN, Tibério Maribondo.

Além dos oficiais técnicos do judô, a arbitragem potiguar estará representada pelo pessoal do atletismo. Foram onze árbitros convocados, um motivo de orgulho para a presidente da Federação Norte-rio-grandense de Atletismo (FNA), Magnólia Figueiredo. “Nosso atletismo estará nos Jogos do Rio com seus árbitros, um motivo de muito orgulho para todos nós”, falou Magnólia. O professor da modalidade de Tênis de Mesa do Colégio Diocesano Santa Luzia, Mário Paz, também recebeu a carta do (Comitê Olímpico Brasileiro) COB para o cargo de Oficial Técnico Nacional e poderá atuar como árbitro.

A outra parte da delegação potiguar vai representar o Brasil nas Paralimpíadas, cujas disputas acontecem de 7 a 18 de setembro. No total, serão onze atletas, um técnico, um guia, quatro enfermeiros, três médicos, um fisioterapeuta e um massoterapeuta. Destaques para os experientes medalhistas paralímpicos Clodoaldo Silva, Edênia Garcia, Joana Neves e Rildene Fonseca, todos da natação, além de Terezinha Mulato (halterofilismo). A equipe ainda contará com os estreantes judocas Abner Nascimento, Artur Silva e Hallyson Boto, Ana Raquel (triatlon) e Thalita Simplício (atletismo). O time potiguar ainda terá Edjunior José do Bonfim, convocado para compor a seleção brasileira paralímpica de basquete de cadeira de rodas.

Para o Secretário de Estado do Esporte e do Lazer, Canindé de França, o grande número de potiguares nos Jogos Olímpicos Rio 2016, deve-se ao esforço e potencial dos atletas e dos profissionais que trabalham em prol do esporte potiguar. “Esse quantitativo de norte-rio-grandenses que se expressa nas Olimpíadas e Paralimpíadas representa todo o esforço individual e o potencial de nossos atletas e profissionais que levam a sério o esporte, com destaque para o Estado que vem realizando um trabalho de fortalecimento do paradesporto escolar e paralímpico. Desejamos boa sorte a todos que irão competir e trabalhar, que façam o seu melhor e conquistem muitas medalhas para o Rio Grande do Norte e o Brasil”, desejou.

POTIGUARES CONVOCADOS
ATLETAS
Marcos Macedo (Natação Olímpica)
Clodoaldo Silva (Natação Paralímpica)
Edênia Garcia (Natação Paralímpica)
Joana Neves (Natação Paralímpica)
Rildene Fonseca (Natação Paralímpica)
Edjunior José do Bonfim (Basquete de Cadeira de Rodas)
Abner Nascimento (Judô para Cegos)
Artur Silva (Judô para Cegos)
Hallyson Boto (judô para Cegos)
Thalita Simplicío (Atletismo Paralímpico)
Terezinha Mulato (halterofilismo)
Ana Raquel (Triatlon Paralímpico)

GUIA
Felipe Veloso (Atletismo Paralímpico)

TÉCNICO
Carlos Willians (Atletismo Paralímpico)

MÉDICOS
Roberto Vital
Leonardo Martins
Rodrigo Braga

FISIOTERAPEUTA
Adriano Ferreira

ENFERMEIROS
Adeílton Dantas
Alanu Lorena de Albuquerque
Francisca Marques da Silva
Isaak dos Santos Rocha

MASSOTERAPEUTA
Wellinton José da Cruz

ÁRBITROS ATLETISMO
Allan Medeiros Pinheiro
Getúlio Lopes de Araújo
Jammerson Franks
João Batista de Medeiros
Dayvison Machado
Aquilles Costa Melo
Marcelo Nascimento
Penélope Nóbrega
Eliomar Câmara
Niedja Carvalho
Armando Lima

OFICIAL TÉCNICO
Laedson Lopes
Juliana Dal’Alva Augusto
Tibério Maribondo
Mário Paz de Sousa
Mikhael Cesar Costa de Araújo
Leonardo Diego da Silva Silveira

Fonte Portal No Ar Esportes

Bolsas para tenistas sobram em universidades dos EUA


O sonho de estudar em uma universidade no exterior sempre esteve mais perto dos atletas de esportes como futebol e natação. No entanto, as universidades norte-americanas têm olhado com cada vez mais atenção para os tenistas brasileiros. As bolsas para atletas de tênis, especialmente para mulheres, têm sobrado em algumas universidades dos Estados Unidos da América (EUA).

Entre as bolsas para atletas, o futebol ainda é o esporte mais procurado, mas outras modalidades também têm aberto portas. Aos 18 anos, com o ensino médio recém-encerrado, a tenista Julianna Bacelar disputava torneios nacionais e internacionais com treinamento dos técnicos Didier Rayon e Gonçalo Fischer e acabou atraindo a atenção de olheiros norte-americanos. “Foram muitos convites, em uma época em que eu estava querendo tentar a carreira de atleta profissional. Mas, chegou uma hora que acendeu aquela vontade de ter uma formação acadêmica também e eu aceitei o desafio”. Julianna uniu o tênis aos estudos para cursar administração financeira na San Jose State University, na California.

“A minha bolsa era de 100%, eu tinha direito a moradia e alimentação. Basicamente o único custo que minha família teve foi de passagens de ida e volta para o EUA. Mas, estando lá não dá para ficar de brincadeira. Você é primeiro estudante, tem que ter notas boas e presença, para depois ser uma atleta, caso contrário você perde a vaga no time principal”, explica a tenista que, já graduada, faz hoje um MBA na mesma universidade e atua como Técnica Auxiliar, convite feito após a conclusão da graduação.

Os convites são feitos para jovens com idade entre 16 e 19 e que encerraram o ensino médio no prazo máximo de 1 ano. O inglês intermediário atende as exigências iniciais. “Basta ter contato com alguma empresa que possa facilitar esse relacionamento ou equipes de treinamento que tenham contatos nos EUA, garantir boas notas na escola, no inglês e bons desempenho nas quadras”, relata.

Atualmente, o time em que Julianna atua como auxiliar só possui atletas internacionais: 4 francesas, 1 belga, 1 suíça e 1 tailandesa. “Temos vagas sobrando para tenistas mulheres e estamos constantemente olhando para as atletas que se encaixam nesse perfil, porém são vagas de alto padrão. Em faculdades menores ou com um nível de tênis um pouco inferior, mas com um nível académico igual ou até melhor que minha faculdade, é possível conseguir 100% de bolsa com maior facilidade”, explica.

Atualmente, os EUA dividem suas universidades em divisões de nível, contando com aproximadamente 200 opções em três divisões diferentes o que aumenta ainda mais as chances de um atleta conquistar uma bolsa. “Estamos apostando nessa geração que está sendo formada nas academias, como a Didier Rayon Tennis Team aqui em Natal, para daqui estar disputando vaga nas universidades americanas. Lá são verdadeiros celeiros de atletas profissionais”, conta Bacelar.

Números
O número de brasileiros estudando em universidades dos Estados Unidos cresceu 78% entre 2013 e 2014, passando de 13.286 para 23.675. Os dados são do relatório anual Open Doors, produzido pelo Instituto de Educação Internacional (IIE, na sigla em inglês). Com esse aumento, o país passou da 10ª para a 6ª posição no ranking de nações que mais enviam universitários aos EUA. Hoje, representa 2,4% do total de estudantes estrangeiros na graduação.

Por Portal No Ar

À espera do BID, América-RN divulga relação para enfrentar o Fortaleza

América-RN - Thiago Potiguar e Ítalo Melo (Foto: Canindé Pereira/Divulgação)

O América-RN realizou na manhã desta sexta-feira 05, o último treino no CT Abílio Medeiros, em Parnamirim, antes de viajar para o Ceará, quando encara o Fortaleza, líder do Grupo A da Série, neste domingo, às 19h, na Arena Castelão. Após a atividade, o técnico Francisco Diá acabou cortando o volante Leomir da relação, em virtude da expulsão do jogador no último domingo, enquanto atuava pelo Globo FC pela Série D. Por ter sido em outra divisão, o jogador estaria liberado para participar deste jogo pelo novo clube. No entanto, segundo a assessoria de imprensa do América-RN, o clube preferiu não correr risco na competição. Leomir estava treinando como titular ao lado de Felipe Macena e Diego Silva. O meia Ítalo Melo, que treinou entre os reservas, foi convocado para integrar a lista com 19 jogadores.

Os recém-contratados Rafael, Pablo Oliveira e Romarinho ainda aguardam regularização, mas seguem na relação. O volante Memo, que recebeu o terceiro cartão amarelo na rodada anterior, cumpre suspensão e está fora do jogo. O zagueiro João Paulo e os atacantes Raul e Rômulo seguem em fase de transição após liberação do departamento médico e permanecem fora da equipe. 

O América-RN deve ir para o jogo contra o Fortaleza com Camilo; Danilo Baia, Cleber, Maracás e Arthur Henrique; Felipe Macena, Pablo Oliveira, Diego Silva; Thiago Potiguar, Romarinho e Alex Henrique.

Confira a lista dos relacionados:
Goleiros: Rafael e Camilo;
Zagueiros: Cléber, Maracás, Richardson e Lucas Bahia;
Laterais: Everton, Danilo Baia, Gleidson e Arthur Henrique;
Volantes: Pablo Oliveira, Diego Silva e Felipe Macena;
Meias: Alex Henrique e Ítalo Melo;
Atacantes: Thiago Potiguar, Reis, Luiz Eduardo e Romarinho.

Fonte GE RN Foto: Canindé Pereira

Ingressos promocionais para ABC x Botafogo/PB encerram neste sábado; confira pontos de venda

RN - Estádio Frasqueirão TR (Foto: Augusto Gomes/GloboEsporte.com)

No próximo domingo (7), o Mais Querido volta a campo para mais um desafio pela Série C, contra o Botafogo/PB, às 16h, no Frasqueirão. Os ingressos promocionais estão à venda somente até este sábado (6).

Para a partida ABC x Botafogo/PB, o torcedor poderá adquirir o seu ingresso arquibancada por R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia), em todos os pontos de venda até o sábado (6).

No domingo (7), dia da partida, os ingressos arquibancada custarão R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia). O jogo vale a permanência do Mais Querido no G-4.

Os ingressos para o setor de cadeira custam R$ 60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia).

Os pontos de venda disponíveis são: SterBom (Midway e Prudente de Morais), On Line For Men (Norte Shopping, Hiper Prudente, Parnamirim e Via Direta), Livraria Câmara Cascudo (Rio Branco e Parnamirim), Gol Mania Store, Espaço Sócio Mais Querido e, no dia da partida, nas bilheterias do Frasqueirão.

Por Portal No Ar Foto Augusto Gomes