domingo, 21 de agosto de 2016

Brasil vence Itália no vôlei masculino e conquista terceiro ouro olímpico


O Brasil venceu hoje, por 3 sets a 0, a Itália e conquistou a terceira medalha de ouro olímpica no vôlei de quadra masculino.

A Itália abriu o jogo da final com um desempenho melhor mas, em pouco tempo, ainda no final do primeiro set, o Brasil chegou finalmente ao jogo e tomou a liderança. Apesar de se manter na frente, a seleção brasileira enfrentou uma forte pressão dos adversários que levou todos os sets a serem concluídos em um verdadeiro revezamento de vantagem, ponto a ponto no placar. O equilíbrio do jogo ficou ainda mais evidente no terceiro set, quando a vantagem passou de uma equipe a outra desde os primeiros instantes levando o set a longos x minutos.

Os italianos chegaram na decisão invictos, mas buscavam primeiro ouro olímpico. Os Italianos já tinham duas pratas – uma conquistada em 1996, nos jogos de Atlanta, contra os Países Baixos, e, em 2006, quando perdeu por 3×1 sets para o Brasil.

O bronze do vôlei masculino foi para a equipe norte-americana que, na manhã de hoje, venceu a Rússia por 3 sets contra 2.

Por Carolina Gonçalves /Agência Brasil

Brasil já tem maior número de pódios da sua história na Olimpíada

Resultado de imagem para fotos do brasil com o ouro olimpico no futebol

A medalha de prata de Isaquias Queiroz e Erlon Souza, neste sábado (20), fez bater, em total de medalhas, a sua melhor campanha na história. Serão, contando com futebol e vôlei, 18 pódios garantidos. O recorde anterior foi na Olimpíada passada, em Londres, que teve 17.

O país ainda pode superar o número de ouro. Com mais um ouro conquistado, passará a seis superando o rendimento verde-amarelo em Atenas-2004, antigo recorde de campeões olímpicos da delegação nacional, com cinco. Uma sede olímpica superar o desempenho dos Jogos anteriores não chega a ser novidade.

Até hoje, apenas três países ganharam mais medalhas na Olimpíada anterior aquela que organizaram: os EUA (101 medalhas em Atlanta-1996 contra 108 de Barcelona-1992), a Finlândia (24 em Londres-1948 e 22 em Helsinque-1952) e a França (42 na Antuérpia-1920 e 41 em Paris-1924).

Quando o COB (Comitê Olímpico do Brasil) fizer o balanço dos Jogos do Rio de Janeiro, o recorde certamente será comemorado. É preciso lembrar, porém, que a meta estipulada pelo próprio não deve ser batida.

A ideia era ficar entre os 10 do quadro de medalhas por total de medalhas. Neste momento, o país é o décimo quinto na soma de pódios. E só deve entrar no top 10 se ganhar medalha em praticamente todas as modalidades que disputar neste sábado e domingo. São disputas no taekwondo e 4×400 m no atletismo neste sábado e maratona neste domingo. Além de já contar com os pódios garantidos no futebol e vôlei.

Fonte Portal No Ar

Brasil vence Alemanha e conquista primeiro ouro olímpico no futebol

Resultado de imagem para fotos do volei do brasileiro com o ouro olimpico 2016

A seleção brasileira de futebol é campeã olímpica dos Jogos Rio 2016. O ouro olímpico foi definido nos pênaltis, após o empate de 1 a 1. Na quinta bola chutada pela Alemanha, o goleiro Weverton defendeu, garantindo o ouro para o Brasil.

O placar do jogo não mudou nos dois tempos da prorrogação, após os 90 minutos com os dois times empatados. O Brasil abriu o placar com o gol de Neymar, aos 26 minutos de jogo, em cobrança de falta. Em comemoração, Neymar repetiu o gesto de imitar um raio do jamaicano tricampeão olímpico de atletismo, Usain Bolt, presente no estádio. Bolt vibrou com o gol de Neymar.

Meyer, da Alemanha empatou, aos 13 minutos do segundo tempo. O gol de ocorreu após uma falha da defesa brasileira, numa bola rebatida. A partir daí, as duas equipes fizeram um jogo tenso com várias chances de gols perdidas pelas duas seleções.

História de uma conquista
Foram necessários 64 anos, mas a seleção brasileira enfim chega ao ouro nos Jogos Olímpicos, numa conquista que serve de redenção para uma geração de jogadores que, pelo menos, desde a Copa do Mundo no Brasil, em 2014, vinha sendo apontada como desprovida de grandes craques, assim como a responsável pelo rebaixamento da seleção brasileira do papel de protagonista para o de coadjuvante no futebol mundial.

Quis também o destino que o ouro fosse proporcionado por uma vitória sobre a Alemanha, país que derrotou o Brasil por 7 x 1 na semifinal do Mundial de 2014, no Brasil. O feito de agora passou longe de ser encarado pelos brasileiros como uma revanche para o fiasco de dois anos atrás. Um dos motivos é o de a seleção olímpica alemã ter em seu elenco somente um jogador que estava presente no Mundial, o zagueiro reserva Mathias Gunter. Mas esse foi um ingrediente a mais para incrementar o sabor de ganhar em casa um título há muito sonhado.

A perseguição ao ouro olímpico, último grande título internacional que faltava ao Brasil no futebol, ganhou contornos de obsessão nas últimas décadas, sentimento que acabou catalisado nestes Jogos Olímpicos, pelo fato do elenco jogar em casa, na primeira Olimpíada na América do Sul.

Por Felipe Pontes e Kelly Oliveira/Agência Brasil

ABC vence Fortaleza no Frasqueirão e volta ao G4 da Série C

ABC vence Fortaleza no Frasqueirão e volta ao G4 da Série C

O ABC volta a vencer pela Série C do Campeonato Brasileiro. Na noite deste sábado (20), o Alvinegro bateu o Fortaleza-CE no estádio Frasqueirão, por 2 a 1, em partida da 14ª rodada. Os gols foram marcados por Nando e Jones para os potiguares. Daniel Sobralense descontou para os cearenses.

Com o triunfo, o ABC volta ao G4 do grupo A da Série C e ocupa a segunda colocação, com 22 pontos. O Fortaleze é o terceiro, com a mesma pontuação. A vantagem abecedista é no saldo de gols: 5 a 4.

O ABC recebe o Remo, no Estádio Frasqueirão, às 19 horas do sábado (27), na próxima rodada. No mesmo dia, o Fortaleza também joga em casa, na Arena Castelão, contra o Salgueiro, às 16 horas.

Por Heilysmar Lima