terça-feira, 8 de novembro de 2016

Em parceria com Projeto Bom Na Escola Bom De Bola Camaleão do Vale avaliará quase 50 atletas hoje, terça feira, em Jardim do Seridó-RN!

Resultado de imagem para fotos do time do assu

Acontece hoje, terça feira dia 8, a avaliação do A.S.S.U (Associação Sportiva Sociedade Unida), com início as 15h00, pontualmente, no estádio Ruy Medeiros na cidade de Jardim do Seridó-RN, com a participação de quase 50 atletas de toda a região do seridó e da Paraíba. O teste será realizado em jogadores com idade entre 18 e 23 anos, que poderão ser aproveitados no time do Assu no campeonato Potiguar de 2017. 

O Camaleão do Vale, como é carinhosamente chamado, foi campeão estadual da seunda divisão do ano passado, 2015, e este vem forte para brigar pelo título. Desta forma, o clube vem realizando este tipo de avaliação em várias cidades, visando oportunizar a esses atletas uma chance de figurar em meio ao futebol profissinal. O Projeto Bom Na Escola Bom De Bola viabilizou a parceria com o Supervisor do clube o senhor Carmésio Cabral.

Graças a Deus o Projeto Bom Na Escola Bom De Bola que trabalha com garotos de 8 a 16, vem tentando ao longo destes seis anos, e sem apoio, dar uma maior vizibilidade aos jogadores de seu município, Jardim do Seridó-RN, trazendo equipe profissionais para avaliarem nossos futuros craques e os talentos de nossa região e de fora dela, como é o caso. 

Lembrando que, esta semana será decisiva para o garoto Joalyson Costa, filho de Joseilsone Nega, que está sendo avaliado na base do ABC FC sub 17. Com essa, já é a terceira semana seguida do atleta do Projeto na base do clube. Outro que a diretoria do Projeto foi levar pessoalmente e, agora, aguarda com anciedade a resposta dos testes. 

Estarão presentes na avaliação o treinador José Cortina, seu auxiliar Nilson Santos e provavelmente o Surpevisor Carmésio Cabral dentre outros integrantes da comissão técnica. O colombiano Cortina será o comandante do Camaleão no campeonato Potiguar de 2017.

A avaliação é mais uma iniciativa do Projeto Bom Na Escola Bom De Bola. A arbitragem ficará por conta da grande promeça da arbitragem Jardinense e Seridoense Raul Reidner da AJAFF (Associação Jardinense de árbitros de Futsal e Futebol). Participarão jogadores de toda região do seridó e também da Paraíba.

Veja também:

Primeiro treino da Seleção Brasileira em BH


Já virou tradição. Por onde a Seleção Brasileira passa nestas Eliminatórias, a CBF aproveita para aproximar o torcedor da equipe e ainda arrecadar alimentos para doação. Nesta segunda-feira (7), os torcedores que trocaram um quilo de alimento não perecível puderam assistir ao treino do técnico Tite 'in loco', na Arena Independência, em Belo Horizonte.

Em campo, os jogadores que chegaram da Europa nesta segunda-feira pela manhã - Philippe Coutinho, Roberto Firmino, Willian, Filipe Luis e Marcelo - e mais o atacante Gabriel Jesus, que se apresentou no início da madrugada, fizeram um trabalho regenerativo. 

Já o restante do grupo, formado por atletas que atuam no Brasil, mais os três que vieram da China e ainda o meia Fernandinho, trabalharam com o técnico Tite e seus auxiliares. Eles participaram de um exercício tático.

O goleiro Weverton, que se apresentou diretamente na Arena Independência, participou normalmente da atividade, assim como seu companheiro de posição, Alex Muralha.

No fim do treinamento, os jogadores e até o técnico Tite interagiram com a torcida presente. Eles chutaram bolas para o público e foram ovacionados pelos torcedores.

Fonte Site da CBF

Líder de ex-atletas, Raí diz que liga de clubes é única solução para o futebol

Líder de ex-atletas, Raí diz que liga de clubes é única solução para o futebol

A ONG Atletas pelo Brasil, que nos últimos quatro anos cresceu sob o comando de Ana Moser, tem novo presidente. Raí, jogador que fez história no São Paulo, no PSG e na seleção brasileira, foi eleito para comandar a entidade pelos próximos dois anos, voltando ao cargo que foi dele nos primórdios da ONG, há 10 anos, quando ela ainda era a Atletas pela Cidadania.

Em entrevista à Rádio Estadão nesta segunda-feira, o ex-craque falou sobre o atual momento do esporte brasileiro. Com relação ao futebol, cobrou maior união dos clubes. “Os clubes deveriam se juntar, se organizar, discutir o interesse do campeonato como um todo. A CBF sempre teve mais força que os clubes e acaba impondo suas vontades. Ela tem mais força econômica, estabilidade financeira, e os clubes ficam dependentes do dinheiro da televisão”, avalia.

“Só tem uma saída: os clubes se organizarem e criarem uma liga gerida por profissionais”, continua Raí, que também acha que os clubes precisam ajudar a pensar o “produto futebol brasileiro” em parceria com a CBF. “Precisamos de um plano de melhoria do futebol como todo.”

A Fundação Gol de Letra, que ele criou enquanto ainda jogava, e a militância voluntária na Atletas pelo Brasil o mantêm próximo ao futebol. Raí chegou a pensar em ser treinador, mas o “estilo de vida” sem nenhuma instabilidade não o agrada. O caminho político acabou sendo uma escolha natural. “Fui crescendo com essa experiência na minha própria família, com o Sócrates, de pensar o coletivo, com participação, seguir o que acontece com a política no mundo, no País. Essa influência familiar me levou para esse caminho”, explica.

O ex-jogador admite que essa militância no esporte pode acabar levando-o a assumir cargos públicos, ainda que não tenha nenhum interesse em ser candidato. “Nunca foi minha intenção. Não pretendo ser candidato, mas uma secretaria, no futuro… Por enquanto não, mas mais para frente quem sabe contribuir com uma gestão pública em uma secretaria”.

Por Estadão Conteúdo via Portal No Ar

ABC anuncia permanência de Edson e confirma 19 jogadores para 2017

Edson - ABC x Botafogo-SP (Foto: Alexandre Lago/GloboEsporte.com)

O ABC anunciou no domingo a renovação de contrato do goleiro Edson. O jogador teve o vínculo prolongado até o fim de 2017 e vai integrar a equipe alvinegra na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro, além de brigar pelo bicampeonato estadual. A renovação foi realizada dois dias após o anúncio da contratação do goleiro Júnior Beliato, que disputou a Série C deste ano pelo Confiança. 

Edson chegou ao Mais Querido em agosto deste ano, logo após a saída de Vaná, titular na conquista do Campeonato Potiguar, mas que acabou negociado com o Feirense, de Portugal. Na Terceirona, foram oito jogos como titular e 10 gols sofridos, sendo seis na goleada para o Guarani, que tirou o Alvinegro da final da competição.

Com Edson mantido, o ABC possui 19 jogadores para o próximo ano. Os outros atletas são os goleiros Jota e Júnior Beliato; o lateral-esquerdo Luiz Felipe; os zagueiros Léo Fortunato, Cleiton, Tiago Sala e Vinicius; os volantes Anderson Pedra, Felipe Guedes, Márcio Passos, Jardel e Arez; os meias Erivélton, Fábio Gama e Chiclete; e os atacantes Nando, Dalberto e Leozinho.

Fonte GE RN Foto: Alexandre Lago

Aos 33 anos, Júlio Terceiro pendura as chuteiras e vira gerente de futebol

Higor César Júlio Terceiro Santa Cruz de Natal (Foto: Divulgação)

Uma vida de muito sacrifício, mas recompensada com títulos e a idolatria de milhares de torcedores. Aos 33 anos, o volante Júlio Terceiro decidiu pendurar as chuteiras e deixar os gramados. Com passagens por América-RN, onde ficou conhecido como Júlio "Guerreiro" pela dedicação e pela raça demonstrada durante os jogos, além de Fortaleza, Ipatinga e Luverdense, foi anunciado como gerente de futebol do Santa Cruz de Natal, clube pelo qual disputou a segunda divisão do Campeonato Potiguar deste ano e conquistou o acesso à elite do RN. Ao Globo Esporte, Terceiro explicou que planejava a aposentadoria há algum tempo, mas prolongou a permanência dentro de campo até o fim deste ano. Porém, após uma conversa com o presidente do Santa Cruz, Lupercio Segundo, decidiu largar o campo para assumir a função de dirigente.

- É uma decisão difícil de sair de um ritmo de futebol, de esforço, de dedicação, do dia a dia em campo. Eu sempre pensei parar um pouco antes, com 30 ou 31 anos. Eu sou um jogador de força, de marcação e que tem um desgaste físico grande. Depois que saí do América-RN, recebi a proposta de Lupercio (Segundo) para jogar a segunda divisão e, após a competição, eu poderia assumir a gerência de futebol do clube. No Brasil, a coisa mais difícil para o jogador de futebol é o que fazer depois de parar. Para mim, vai ser uma oportunidade excelente para permanecer no futebol e me especializar. Vou estudar mais, buscar um aperfeiçoamento fora de campo. É uma área que eu gosto de fazer e espero ter sucesso nela também - contou, o agora, gerente de futebol do Santa Cruz de Natal.

A primeira tarefa de Júlio Terceiro é a montagem do elenco para o Campeonato Potiguar. Ao lado do técnico Higor César, que tem experiência no futebol potiguar, conseguiu a permanência de 70% do elenco que conquistou a segunda divisão deste ano. Alguns jogadores, como o volante Régis Potiguar e os atacantes Hudson e Índio Oliveira, estão em negociação para atuar no futebol carioca. Por outro lado, o Tricolor quer reforçar o plantel para preencher o calendário de 2018, para o qual vislumbra uma vaga na Copa do Brasil e a Série D do Campeonato Brasileiro.

- Renovamos com mais de 70% do elenco que venceu a segunda divisão deste ano. Estamos na fase de montagem, perdemos algumas peças que vão atuar no Campeonato Carioca, mas a nossa intenção é trazer jogadores de grande valor. Como a nossa receita é baixa, vamos dar prioridade aos garotos que têm destaque no RN. O nosso planejamento é montar um time competitivo e buscar preencher o calendário para o próximo ano. Temos condições de conquistar uma vaga para a Copa do Brasil, e, quem sabe, disputar uma Série D - completou Terceiro.

Por Jocaff Souza via GE RN Foto Divulgação

Procura-se um presidente: Potiguar vive dilema e busca nome para 2017

Benjamim Machado, presidente do Potiguar de Mossoró, foi eleito o melhor dirigente (Foto: Jocaff Souza)

Um clube sem presidente, com dívidas e repleto de incertezas para 2017. A vida do Potiguar de Mossoró está complicada neste fim de ano, período em que os clubes participantes do Campeonato Potiguar dão início à pré-temporada. Quarto colocado na classificação geral do estadual deste ano, o Time Macho assegurou uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro, mas acumula uma dívida de R$ 60 mil com os integrantes da comissão técnica, jogadores e outras despesas. Este montante só poderá ser quitado com um repasse da Prefeitura de Mossoró, que assegurou um valor de R$ 100 mil em publicidade, mas só cumpriu apenas uma parcela do acordo. Antes disso, Benjamim Machado, presidente eleito com mandato até 2017, se licenciou do cargo para concorrer ao cargo de vereador em Mossoró. Sem obter êxito no pleito municipal, ficou descontente e anunciou a renúncia da presidência. A decisão também foi acompanhada pelo vice-presidente Max Luis Bezerra, que assumiu o clube durante a Série D.

Para buscar uma saída, membros do Conselho Deliberativo se reúnem nesta quinta-feira para indicar, por meio de consenso, os novos presidente e vice-presidente do clube. Ao GloboEsporte.com, Carivaldo Dias, que é vice-presidente do Conselho Deliberativo, contou que foram realizadas cinco reuniões para a obtenção do balanço financeiro do clube. O dirigente disse ainda que dois outros conselheiros se disponibilizaram em assumir o clube, mas os nomes ainda são mantidos em sigilo.

- Fizemos cinco reuniões para fechar isso e esperamos que essa última possa ser a definitiva. Dois conselheiros nos procuraram e disseram que querem assumir a presidência. Vamos tentar um consenso para que um seja o presidente e outro o vice - revelou Dias.

Sobre as dívidas do Time Macho, Carivaldo revelou que o clube ainda espera pelo pagamento de duas parcelas do patrocínio feito com a Prefeitura de Mossoró, que chegam a cerca de R$ 60 mil, que serão revertidos para o pagamento da segunda parcela das rescisões da comissão técnica e jogadores.

- No dia 10 de outubro, a Prefeitura ficou de nos pagar. Depois, houve um comunicado e a data foi remarcada para o fim de novembro, com a justificativa de que o município enfrenta dificuldades financeiras. Mas o atraso dessas parcelas é desde o mês de junho. Esse valor recebido será para que o clube quite a segunda parte da dívida com os integrantes da comissão técnica e com os jogadores, que deixaram o clube com apenas 50% da rescisão. Outra parte será para pagar outras despesas que tivemos ao longo do ano - contou o dirigente.

"Me sinto frustrado"
Eleito para um mandato de presidente do Potiguar de Mossoró por dois anos, Benjamim Machado retornou em 2015 para a quarta passagem à frente do clube e sonhava em conquistar mais um título estadual, assim como fez em 2013 na decisão contra o América-RN. O primeiro troféu de campeão do Time Macho foi em 2004. Esse ano, tentou uma carreira na política e se candidatou ao cargo de vereador em Mossoró, mas ficou a 87 votos de um cargo no legislativo. Insatisfeito com resultado negativo nas urnas e irritado com o percurso tomado pelo Potiguar, Machado contou ao Globo Esporte que renunciou ao cargo de presidente por se sentir "frustrado".

- Me sinto frustrado. Tivemos até um bom campeonato estadual, mas o clube obteve muitas dívidas e, com a minha tentativa de buscar um cargo político e ficar a 87 votos de não entrar na Câmara, preferi não continuar no cargo. Tem a ver com a minha não eleição para vereador de Mossoró, como também a falta de investimento no futebol - lamentou Benjamim.

Com três mandatos e meio e um título estadual, Benjamim Machado foi eleito o melhor dirigente do estadual deste ano, mas disse ainda que se sentiu desvalorizado com a própria torcida do Potiguar. O dirigente falou que não teve o "reconhecimento merecido" e que o projeto político poderia contribuir para valorizar o futebol mossoroense e reavivar o Estádio Nogueirão, que foi interditado pelo Corpo de Bombeiros na última semana e corre o risco de não ser liberado para o Campeonato Potiguar 2017.

- Eu acho que o trabalho e empenho que eu tive à frente do clube, ao longo dos anos, faltou por parte da torcida o reconhecimento merecido. A busca pela eleição não era apenas um projeto pessoal, mas para fortalecer o nosso clube. A ida ao Legislativo poderia nos auxiliar com algumas emendas, porque os atuais vereadores não disponibilizam qualquer intenção de auxílio aos clubes de Mossoró. Posso citar como exemplo o Nogueirão, que está definhando e o poder público não faz nada para valorizar o estádio da nossa cidade - finalizou o ex-presidente.

Texto e Foto por Jocaff Souza