terça-feira, 11 de abril de 2017

Alecrim acredita no "fio de esperança" para se livrar da queda no estadual

Valdierre Jota técnico Alecrim (Foto: Fabiano de Oliveira/GloboEsporte.com)

O fio de esperança de uma história centenária pode se esvair nesta quarta-feira, caso a vitória tão sonhada não aconteça. O Alecrim está em situação desesperadora, amargando a lanterna do returno e da classificação geral do Campeonato Potiguar e não depende apenas dos próprios esforços para permanecer na elite potiguar. As contas do Verdão são de vencer o clássico contra o ABC no Estádio Frasqueirão, onde o Alvinegro mantém a marca de 29 jogos de invencibilidade, e ainda "secar" o Santa Cruz de Natal, onde perdeu no confronto direito por 1 a 0 neste domingo, para que o rival perca o duelo contra o Potiguar de Mossoró.

O técnico Valdierre Jota, que assumiu a equipe após o empate com o Potiguar de Mossoró, que ocasionou a saída de Edson Alves, perdeu os dois jogos para América-RN e Santa Cruz, mas ainda acredita que o Alviverde vai superar a dificuldade. O treinador afirmou que "não jogou a toalha" e espera trabalhar a parte psicológica para que os jogadores possam se superar em campo.

- A situação é de desespero. Mas, a história do Alecrim ainda me dá muita força. Não jogamos a toalha ainda, temos a última rodada, tudo pode acontecer, eu acho que vou me agarrar no último fio de esperança que me resta e confio muito no meu grupo. Pela história do Alecrim, é uma situação que a velha guarda nunca passou e nem quer passar e vamos para a última rodada pensando como time grande e precisando vencer, que é o único resultado que nos resta. Agora, não depende só das nossas forças e precisamos ver o resultado do jogo do Santa Cruz de Natal contra o Potiguar de Mossoró. Vamos trabalhar os próximos dias e vamos jogar com esse fio de esperança. Temos que levantar a cabeça, trabalhar o psicológico e mostrar aos atletas que não está nada perdido - disse Valdierre.

Terceiro profissional a assumir o comando técnico, Valdierre Jota está no Alecrim desde a equipe Sub-19, onde trabalhou ao lado de Edson Alves. Antes, a diretoria alviverde fez a aposta de trazer Athirson Mazzoli, que fez história como jogador pelo Flamengo, Cruzeiro e Bayer Leverkusen, mas que vinha de um trabalho polêmico no Flamengo-PI. A aposta no treinador carioca não surtiu o planejamento desejado e, juntamente com as falhas de gestão do clube, expuseram a crise no futebol. 

- Eu não posso pontuar erros, porque começou tudo errado. Isso é consequência. São coisas que a gente não pode mais correr atrás. Resta apenas uma partida, mas não podemos consertar tudo em apenas uma partida. Mas, se é a esperança que nos resta, vamos em busca dela - planejou.

Para encarar o ABC, o Alecrim vai precisar se superar em campo. O adversário, garantido antecipadamente na final do segundo turno, ainda sustenta uma marca de 29 jogos de invencibilidade no Estádio Frasqueirão. Para quebrar essa marca, o Verdão tem o retorno do atacante Léo Bahia, que é o artilheiro do estadual, e que cumpriu suspensão contra o Santa Cruz de Natal.

- Sempre que o favoritismo vai ser do ABC, não restam dúvidas porque eles vão jogar em casa e com uma invencibilidade histórica. Mas, quem sabe os deuses do futebol iluminem a nossa equipe e nós possamos sair com o resultado positivo - completou o treinador alviverde.

Por GE RN Foto: Fabiano de Oliveira