sexta-feira, 21 de julho de 2017

Zé Ricardo vê torcida do Fla no ‘direito de cobrar’ demissão; Guerrero se revolta


Depois de ver o Flamengo empatar por 2 a 2 com o Palmeiras, na noite da última quarta-feira, no estádio Luso Brasileiro, no Rio, em um jogo no qual o meia Diego desperdiçou um pênalti que poderia ter garantido a vitória rubro-negra, o técnico Zé Ricardo acabou pagando o preço pelo erro do seu jogador ao final do confronto. Ele teve o seu pedido de demissão pedido em coro boa parte da torcida flamenguista e ainda foi xingado por alguns torcedores na saída do gramado.

Ao comentar o fato, o treinador evitou criticar o erro de Diego, reforçou a confiança no futebol do meio-campista, lembrando que ele é um dos nossos cobradores oficiais do time, e já começou a projetar o duelo diante do Coritiba, neste sábado, às 19 horas, novamente no Luso Brasileiro, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

“Sobre a torcida, não tem muito o que comentar. Está no seu direito de cobrar. Temos que continua trabalhando nesse pouco tempo até o jogo contra o Coritiba. Vamos tentar encaixar cada vez melhor as peças que estão chegando e tocar para frente. Está todo mundo no seu direito. Definitivamente, todos estão chateados por não conseguirmos a vitória, mas vamos buscar a recuperação na próxima partida”, afirmou Zé Ricardo, em entrevista coletiva.

O empate com o Palmeiras deixou o Flamengo na quarta posição do Brasileirão, com 25 pontos, agora dois atrás do Santos, que se isolou na terceira colocação ao bater a Chapecoense por 1 a 0, também na noite desta quarta, na Vila Belmiro. E inevitavelmente o resultado aumentou a pressão sobre Zé Ricardo, que acredita que sua equipe merecia melhor sorte pela atuação que exibiu em campo.

“Justo ou não, foi o resultado que aconteceu. Acho que a gente produziu para vencer a partida, até por isso a chateação de todos nós. Acho até que, pela oportunidade (que teve de marcar) com o pênalti (quando o duelo estava empatado por 2 a 2 na etapa final), a gente merecia a vitória”, analisou.

GUERRERO SE REVOLTA
Autor de uma assistência e ainda do segundo gol do Flamengo no jogo desta quarta-feira, Guerrero desabafou ao fim da partida ao reclamar da falta de punição mais severa ao zagueiro palmeirense Mina, que marcou o peruano de perto durante todo o confronto. E, segundo o atacante, o defensor o fez de forma desleal.

“Belisca toda hora, faz falta, juiz não cobra…”, afirmou Guerrero em entrevista à TV Globo ainda no gramado, para em seguida confirmar que estava se referindo ao zagueiro e também ao exibir marcas em seu corpo que teriam sido causadas por Mina. O fato fez o jogador cobrar uma atitude da diretoria do Flamengo para que o clube toma uma atitude em relação à arbitragem do baiano Jailson Macedo de Freitas.

“O Mina… Eu falei para ele, pode me ver. Puxa, faz falta, ‘não cobra’. Não entendo, de verdade. Fico chateado, porque complica a gente. Eles fizeram dois contra-ataques, dois gols e duas faltas que me fizeram. Fico chateado. Se mata no campo e os caras não querem jogar bola, só querem fazer falta para a gente não aproveitar. Não sei mais o que fazer. Vou ver com a diretoria do Flamengo para reclamar. Toda hora fazem falta, não cobram… Isso não é futebol, já deixou de ser futebol. Entendo que é falta tática, mas futebol tem de ser jogado no chão, com a bola limpa”, disse Guerrero, para depois interromper o próprio discurso, visivelmente revoltado.

Por Dinarte Assunção Estadão Conteúdo via Portal No Ar