quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Ex-jogador luta contra leucemia e precisa de doação de sangue em Recife

Paulo Júnior luta pela vida após recaída da leucemia (Foto: Reprodução)

O ex-jogador Paulo Júnior, com passagem por Salgueiro, América-RN, Baraúnas e Campinense, está internado em um hospital de Recife, onde realiza tratamento contra a leucemia, e precisa de doações de sangue de qualquer tipo. O quadro clínico é considerado complicado, em uma rotina que se divide entre a quimioterapia e a UTI.

PJ precisa de grande quantidade de plaquetas de sangue para se recuperar de uma infecção. São necessárias 18 bolsas de sangue por dia. As doações podem ser feitas no Hemope, em Recife, no nome de Paulo Roberto Morais Júnior, que está internado no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Filgueira (IMIP).

Amigos de Mossoró, sua cidade natal, estão se mobilizando para ir à capital pernambucana doar sangue. Nesta época do ano, período que antecede o carnaval, geralmente o estoque de sangue dos Hemocentros é baixo e, por este motivo, amigos e familiares se mobilizam e pedem as doações.

Hoje com 33 anos, Paulo Júnior foi diagnosticado com leucemia em 2015, quando atuava no Salgueiro. Antes, havia feito carreira de muito destaque no Oriente Médio, onde passou por países como Bahrain, Omã e Emirados Árabes Unidos. Também jogou na Coreia do Sul e na França.

O ex-jogador chegou a fazer um transplante de medula, ainda em 2015. No ano seguinte, vivia a esperança de retornar aos gramados, mas sabia que seria difícil. Decidiu seguir trabalhando com o futebol e ser agente de atletas para os países em que atuou. Também foi gerente de futebol da equipe do Mossoró Esporte Clube na segunda divisão do Campeonato Potiguar, em 2017, até que teve uma recaída da doença. Após exames, foi internado em Recife.

Confira abaixo uma postagem feita pelo ex-jogador em dezembro.
Hoje tá completando um mês que saí de casa para uma consulta (estava sentindo um incômodo na barriga e falta de apetite). Dessa consulta, veio exames, internação e o que eu não esperava ouvir. Tive uma recaída da doença . Mas como assim? Eu fiz o transplante! Questionei a médica se o transplante não tinha dado certo? E ela respondeu que sim, me deu dois anos de uma boa qualidade de vida. Enfim, tem coisas que fogem do nosso entendimento. O baque mais uma vez foi grande, há coisas que não queremos ouvir e a ficha demora a cair. Mas uma coisa eu tenho certeza, Deus está no controle de tudo, como sempre esteve e eu vou optar pela mesma escolha, lutar. Quero compartilhar esse momento com vocês pq time que se ganha nao se mexe, e sei que estamos juntos. Obrigado família, amigos e até mesmo aqueles desconhecidos que de uma forma ou de outra ora e torce por mim. Com Deus e com vocês eu nunca irei desistir. 🙏👊🏻

Por Globo Esporte Natal