sábado, 29 de julho de 2017

Barão dá receita para lidar com críticas: "Ligue o f***-se e continue o trabalho"

Renan Barão, Media Day, UFC 214 (Foto: Evelyn Rodrigues)

Ex-campeão peso-galo do Ultimate, Renan Barão conhece os dois lados da moeda: sabe tanto como é estar no topo do mundo, quanto ser destronado e sofrer com as críticas por não repetir as atuações que o público se acostumou a ver. Em tempos de redes sociais, onde as opiniões se espalham de maneira veloz e alcançam rapidamente os perfis dos atletas, o potiguar aprendeu a lidar com os críticos.

Em entrevista exclusiva ao Combate.com, na quinta-feira, Renan Barão revelou o que faz - e o que os demais devem fazer -, para não se deparar com esse tipo de situação.

- Ligue o f***-se e continue o trabalho. Esse é o objetivo. Só quem sabe o que você está passando é quem está ali do seu lado por toda sua vida. Quem não sabe o que está falando, manda catar coquinho. Faço como um amigo meu: desligo, deleto e bloqueio. Pronto, irmão, já era. Se não está gostando do meu trabalho, se não está se sentindo bem, irmão, não me acompanhe mais, desligue e bloqueie, só isso.

Perguntado se o fãs brasileiros são muito cruéis com os lutadores que perdem, Renan Barão, adversário de Aljamain Sterling, sábado, pelo UFC 214, em Anaheim, não titubeou.

- Com certeza, sem dúvida nenhuma. E a maioria fala sem nunca ter nem colocado um quimono para treinar, ou nem levado um tapa... Fica no sofá, atrás do computador, falando várias besteiras, não sabe o que realmente um atleta passa. A dificuldade de treinar, a dificuldade da perda de peso e de várias coisas. A maioria dos atletas do Brasil não tem patrocínio mensal para dar um salto. É preciso ter um apoio pra sempre estar melhorando e buscando evolução. Isso se torna muito mais difícil - declarou o atleta, que realizou a preparação para o combate nos Estados Unidos, para onde o seu mestre Jair Lourenço se mudou.

Após o "Media day", Barão e Sterling se provocaram na hora da encarada. O americano tentou intimidá-lo verbalmente, o potiguar confessou posteriormente que não entendeu o que o oponente falou, em inglês, mas simulou estar com medo dele. Avesso a provocações, o faixa-preta de jiu-jítsu cravou que o duelo não passa da segunda etapa.

- O objetivo é nocautear ou finalizar a qualquer momento, mas acho que vai ser um grande nocaute. Acho que ele não passa nem do segundo round.

Confira a programação completa:
UFC 214
29 de julho, em Anaheim (EUA)
CARD PRINCIPAL (a partir de 23h, horário de Brasília):
Peso-meio-pesado: Daniel Cormier x Jon Jones
Peso-meio-médio: Tyron Woodley x Demian Maia
Peso-pena: Cris Cyborg x Tonya Evinger
Peso-meio-médio: Robbie Lawler x Donald Cerrone
Peso-meio-pesado: Jimi Manuwa x Volkan Oezdemir

CARD PRELIMINAR (a partir de 19h30, horário de Brasília):
Peso-pena: Ricardo Lamas x Jason Knight
Peso-casado (63,5kg): Aljamain Sterling x Renan Barão
Peso-pena: Renato Moicano x Brian Ortega
Peso-pena: Andre Fili x Calvin Kattar
peso-palha: Kailin Curran x Alexandra Albu
Peso-mosca: Eric Shelton x Jarred Brooks
Peso-leve: Josh Burkman x Drew Dober

Por Evelyn Rodrigues, Marcelo Barone e Marcelo RussioDireto de Anaheim, EUA Foto: Evelyn Rodrigues