sábado, 22 de julho de 2017

Potiguar disputa Jogos Paralímpicos Universitários em busca de recordes

Cícero Tavares é campeão em três modalidades dos Jogos Paralímpicos Universitários (Foto: Divulgação)

O Cícero Tavares vai representar o Rio Grande do Norte nos Jogos Paralímpicos Universitários, em São Paulo. O evento será realizado de 26 a 30 de julho, no Centro de Treinamento Paralímpico. O atleta de 34 anos, aluno do curso de Direito da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern), vem treinando três horas por dia (alternadas entre campo e academia), de segunda a sábado. Com a proximidade da competição, apenas um pensamento ocupa a mente do potiguar: manter os títulos conquistados.

- Tenho confiança de que farei um bom campeonato. Vou lutar pra manter os títulos e quem sabe mais um recorde. Nos últimos treinos, melhorei as marcas do último Brasileiro. Mas não sei como está sendo a preparação de outros atletas e isso me faz treinar mais para chegar firme na competição. O amor que tenho pelo esporte me dá forças pra lutar para que seja possível - disse.

Competindo na classe F44 - para atletas com amputação ou deficiência nos membros inferiores -, Cícero é o atual campeão no arremesso de peso, lançamento de dardo e dos 1.500m, prova em que quebrou o recorde brasileiro. Ele revelou que ainda vai em busca de um título inédito na prova que é considerada, pelo próprio, como sua especialidade: o lançamento de disco.

Em abril deste ano, no Open Internacional de Atletismo e Natação, o atleta do Clube Paralímpico do Rio Grande do Norte foi ouro no lançamento de disco e prata no lançamento de dardo e também no arremesso de peso.

Vencendo as dificuldades
Amor pelo esporte e superação dão a tônica da vida de Cícero Tavares. Natural de Itaú, a 361 km de Natal, sempre foi apaixonado por esportes, o que o trouxe à capital potiguar para seguir a carreira de fundista.

- A corrida já começava antes mesmo de treinar propriamente. Eu fazia o trajeto até o local de treinamento correndo, da Casa do Estudante, na Cidade Alta, até o Caic, em Lagoa Nova. O esforço rendeu. Fui o primeiro atleta abaixo dos 18 anos a completar a Meia Maratona de Natal, isso em 1999, e depois ganhei a medalha de bronze nos Jogos Escolares do Rio Grande do Norte - contou Cícero.

Em 2009, porém, Cícero sofreu um grave acidente de moto que comprometeu os movimentos da perna esquerda - encurtamento na perna, e joelho e tornozelo perderam amplitude. A partir daí entra em cena a superação, do homem e do atleta. Ele, que fazia pós-graduação à época, dava continuidade aos trabalhos acadêmicos da cama do hospital, o que, segundo o próprio Cícero, ajudou a superar o trauma do acidente. Alguns anos depois, mais precisamente em 2014, Cícero volta a disputar competições, agora como atleta paralímpico. O último lugar na disputa entre servidores do IFRN não diminuiu o desejo de seguir a paixão. Pelo contrário. Serviu de estímulo para adotar uma rotina de treinamentos e se preparar melhor.

- Foi então que reencontrei um antigo parceiro de treinos através das redes sociais. Conversamos, contei minha situação, e ele começou a me passar uma rotina de treinos nas especialidades que ele treinava: arremesso de peso e lançamento de disco e de dardo. Daí em diante, fechamos a parceria e ele passou a ser meu treinador e hoje estou colhendo os frutos da dedicação e do trabalho que fazemos juntos - relembrou.

Por Hugo Monte*, Natal * Estagiário sob supervisão de Augusto César Gomes. Foto: Divulgação