segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Pompa, choro e pedido especial do filho: Wallyson é apresentado no ABC

Apresentação de Walyson no ABC foi com pompa (Foto: Andrei Torres/ABC FC)

Com status de ídolo e uma pompa pouco vista numa apresentação de um jogador no Rio Grande do Norte, o atacante Wallyson, de 29 anos, foi apresentado no ABC na tarde deste sábado no estádio Frasqueirão. O atacante acertou contrato na quinta-feira passada com o Alvinegro e retorna ao clube em que foi revelado após 11 anos. Depois de duas negociações frustradas nos últimos dois anos, o final dessa vez foi feliz para os dois lados. Um pedido especial do filho mais velho, de sete anos, e um desejo de ressurgir no cenário do futebol pesaram para este retorno.

- No ano passado esteve perto, mas uns detalhes atrapalharam, Esse ano tiveram três propostas pra eu ir, até melhor (que a do ABC), mas eu falei com meu empresário, a pedido do meu filho de sete anos, que está precisando hoje mais do que nunca da minha presença. E ele pediu pra eu ficar. E isso pesou muito na minha escolha. Foi uma escolha tranquila, mais do que as outras, porque foi o meu filho que pediu. Ele queria que eu ficasse aqui, mais perto dele. 'Papai, fica aqui perto de mim'. Isso pesou muito, então estou muito feliz. Agora é só trabalhar e dar alegria a essa torcida - disse o atacante.

A torcida compareceu em bom número ao estádio Frasqueirão para ver o ídolo vestir novamente a camisa do Alvinegro depois de mais de uma década. Um pequeno palco foi colocado no centro do gramado, onde Wallyson falou com os torcedores. Lá, ele se emocionou ao recordar o início da carreira e recebeu o carinho das arquibancadas.

Wallyson se destacou com a camisa do ABC em 2007 quando, com 18 anos, foi protagonista do título potiguar daquele ano (marcou quatro gols na final contra o América-RN vencida por 5 a 2) e no acesso à Série B.

Antes um garoto que deixou o clube com 19 anos de idade para o Alético-PR, o atacante volta com a responsabilidade de ser protagonista de um time recheado de jovens atletas.

- Sei que a minha responsabilidade é muito grande, mas responsabilidade eu sempre levei comigo. Então vou trabalhar, junto com meus companheiros. Sei que eu não vou fazer nada sozinho. Vou ajudar muito meus companheiros, eles também vão me ajudar. Sei que a cobrança vai ser um pouco maior do que para os meus companheiros, porque aqui eu tenho uma história. Mas eu estou tranquilo. Quando você joga num clube grande, que tem cobrança, essa massa. Então, estou preparado - frisou.

Conversa com o treinador
O jogador contou que, ainda quando estava em negociação com o clube, recebeu uma ligação do técnico Ranielle Ribeiro.

- O ABC também entendeu a minha situação, eu também entendi a situação do clube. E a gente ficou conversando umas duas semanas. Ranielle (Ribeiro) me ligou perguntando como estava a minha cabeça. Eu falei que queria jogar, que estava muito focado aqui no ABC, se desse certo - disse.

Wallyson destacou que o principal objetivo nesta temporada é conseguir o acesso para a Série B. O Alvinegro, por sua vez, já começa a temporada na próxima semana na estreia do Campeonato Potiguar. Apesar de se apresentar apenas na segunda-feira para o técnico Ranielle Ribeiro, Wallyson mantinha a forma numa academia de um amigo nesta pré-temporada e acredita que estará pronto para atuar em 15 dias.

Futuro
Com 29 anos, o atacante potiguar acredita que ainda pode almejar um futuro em um mercado mais forte. Por isso, sonha em atuar num exterior e vê essa possibilidade como mais concreta nos próximos anos. Apesar disso, entende que é preciso, primeiro, fazer uma temporada impecável com a camisa do ABC.

- Você sabe como é o futebol. É muito rápido. Hoje estou aqui, daqui a pouco aparece uma proposta para fora, que hoje está mais fácil pra mim do que antes. Meus empresários disseram pra mim que está mais fácil, está na hora de jogar fora. E acho que vai depender muito de mim. Se eu fizer um trabalho aqui, junto com meus companheiros, e levar o ABC pra Série B, que tem tudo pra voltar... Sei da minha capacidade, sei do futebol que eu tenho ainda. Tenho muito pra dar. Umas coisas que aconteceram comigo que me atrapalharam um pouco, mas aos poucos eu vou retornando as coisas e e estou muito feliz. E trabalhar, que eu vou dar muita alegria à torcida e voltar pro topo, na Série A. Quero jogar a Série A, que eu sempre joguei e acostumei - disse.

Por Leonardo Erys, Natal via GE RN Foto Andrei Torres